A naturalidade do que é visível

rel_edit

O Itaú Cultural durante o mês de janeiro passou por uma reforma e ampliação do material de pesquisa. A Enciclopédia Itaú Cultural de Teatro, lançada em 2004, possuía dados sobre a produção teatral de São Paulo e do Rio de Janeiro, a partir de 2009, terá verbetes sobre artistas, companhias, movimentos e espetáculos de Belo Horizonte, Porto Alegre e Recife.

Para ocasião da reinauguração do instituto, programou-se uma série de eventos. Um debate com a equipe responsável pela enciclopédia, Antonio Cadengue, Clóvis Massa, Fátima Saadi, Fernando Mencarelli, João Roberto Faria e Johana Albuquerque. E os grupos Giramundo, Belo Horizonte, e Os Fofos Encenam, São Paulo, prepararam, respectivamente, o espetáculo de bonecos As Relações Naturais (montado com base em texto do dramaturgo gaúcho Qorpo Santo) e o processo de criação da peça Memória da Cana (inspirada na leitura de obras dos pernambucanos Nelson Rodrigues e Gilberto Fryre).

O primeiro, apresentado no dia 04 de fevereiro, é um exemplo da estética apurada em concepção de bonecos da companhia Giramundo, que já tem 37 anos de trajetória. No entanto, o resultado de fruição que a montagem provoca, é diverso entre público e crítica. Uma sensação comum a ambos: desperta – em mim pelo menos despertou – uma análise sobre adequação de mídias.

Álvaro Apocalypse, diretor e autor da adaptação, optou por manter as características do dramaturgo. Qorpo Santo, gaúcho do século XIX, tinha um texto não-linear, com personagens perturbados e perturbadores, precursor do teatro do absurdo.

O guia do Itaú Cultural diz que, ao não especificar quem está falando, o texto abre múltiplas possibilidades para a montagem do espetáculo e mesmo para a elaboração do perfil dos personagens, e ainda cria um paralelo entre as deformações moral e física.

Eles consideram que o espetáculo foi recebido com estranheza pelo público. Em minha opinião, de público, isso se deve justamente às escolhas de adequação da linguagem.

Num primeiro momento, me deparei com meu preconceito que poderia ser o de muita gente: teatro de bonecos é coisa de criança, sô. Depois, olhando bem, percebi a especificidade desse tipo de teatro, amparada na linguagem visual. Quando as coisas ocorriam no “corpo” dos bonecos havia mais teatralidade do que nas verborragias. O texto de Qorpo Santo, todavia, não recebeu um tratamento sob esse ponto de vista. A adaptação escolheu manter os diálogos da forma como foram escritos e, muitas vezes eles não se sustentam como atrativo, na imutabilidade expressiva dos bonecos. Entendo a proposta de Álvaro – advinda de um apaixonamento antigo (a primeira montagem de Relações Naturais pela companhia Giramundo foi em 1983). Sem dúvida, Álvaro conquistou vasto conhecimento sobre esse dramaturgo e sobre sua dramaturgia. Tanto, que ele concluiu que conservar o texto o mais próximo de seu original, elucidava o quanto os eventos, ali retratados, continuavam excêntricos ao nosso olhar contemporâneo, que dirá ao olhar de um homem do interior gaúcho no século XIX! O que falhou, no entanto, foi perceber que, ao salientar o conteúdo, a montagem perdia em forma e a relação estabelecida distanciava-se de seu propósito. Ao transpor uma dramaturgia de ator – drama clássico – para a linguagem de teatro de bonecos, atentou-se contra a vocação dessa linguagem. A verborragia impediu que a estética sobressaísse, naturalmente.

Links

Giramundo
Itaú cultural

Livia Lima

Anúncios

2 Respostas

  1. Bem vinda querida!
    adorei o post!
    Bonecão é demais mesmo, sou muito fã das expressões populares, melhor ainda quando há releituras que as deixam vivas! Teatro de animação é fantatico, vc me fez lembrar de uma peça que vi, no sempre marcante Centro Cultural São Paulo… o nome era submundo. Tinham 2 cenas com bonecos para não deixar assim no ar.. é uma peça do grupo sobrevento! Vi 2 vezes… se voltar ficar em cartaz vale a pena!

  2. Livia, parabéns pela estréia aqui na + movimento. Espero que tenhas sucesso e que sejas bem tratada:)
    Estaremos aqui para auxiliá-la. Tchelo está mais perto, eu sei, mas “tamo aí”.
    Grande beijo a ti, nova parceira:D

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: